Proteção Respiratória

GASES TÓXICOS

03 jun 11 Por Claudinei Machado 0 comentários
Gases tóxicos
     A hemoglobina é formada por proteínas complexas que se unem aos átomos de ferro. A estrutura da proteína e do seu átomo de ferro faz com que o oxigênio se una ao átomo de ferro de maneira bastante superficial. Quando o sangue passa pelos pulmões, os átomos de ferro na hemoglobina se unem a átomos de oxigênio. Quando o sangue flui por áreas do corpo com pouco oxigênio, os átomos de ferro liberam o oxigênio deles. A diferença na pressão do oxigênio nos pulmões e nas partes do corpo que precisam de oxigênio é muito pequena. A hemoglobina é bastante sintonizada para absorver e liberar oxigênio apenas nas horas certas.
monóxido de carbono, pelo contrário, se une com bastante força ao ferro na hemoglobina. Quando o monóxido de carbono se prende, é bem difícil de soltar. Então, ao se inalar monóxido de carbono, ele gruda em sua hemoglobina e ocupa todas as áreas de ligação que seriam feitas com o oxigênio. Com o tempo, seu sangue perde toda a capacidade de transportar oxigênio e o indivíduo sufoca.
Como o monóxido de carbono se une com muita força à hemoglobina, você pode ser envenenado por monóxido de carbono – até mesmo em concentrações bem baixas – se estiver exposto por um longo período. Concentrações baixas de 20 ou 30 partes por milhão (ppm) podem ser prejudiciais se você ficar exposto por várias horas. Uma exposição a 2 mil ppm por uma hora resultará em perda de consciência.

Efeitos do CO

Efeitos adversos à saúde humana: Os sintomas dependem da concentração inalada e da duração da exposição, porém os principais efeitos são alterações na pressão sanguínea e sensação de sufocamento.
 
Perigos específicos: O gás é inflamável.
 
Principais Sintomas: Todos os danos são devidos à grande redução da respiração celular e podem incluir problemas no sistema nervoso, colapso cardiovascular, insuficiência renal, coma, etc.
     A exposição ao monóxido de carbono pode provocar mudança na temperatura corpórea, mudança na pressão sanguínea, dificuldade respiratória, desorientação, alucinações, tremor, perda da audição, distúrbios na visão, sufocamento, dor de cabeça, tonturas, palpitações cardíacas, fraqueza, confusão mental e náuseas até convulsões, inconsciência e morte.
Inalação: Remover a pessoa para local arejado. Se não estiver respirando, faça respiração artificial, utilizando aparelho de reanimação manual (ambu), ou respiração boca a boca. Se respirar com dificuldade, consultar um médico imediatamente.
 
Proteção para os prestadores de primeiros socorros: Assistência médica imediata é fundamental em todos os casos de grave exposição. A equipe de socorro para resgate em ambientes confinados deve estar equipada com equipamentos de respiração autônoma e consciente dos riscos de fogo e explosão.
 

     O CO é incolor, insípido e inodoro. Na América do Norte, alguns governos estaduais, provinciais e municipais têm estatutos exigindo a instalação de detectores de CO em construções entre eles, os estados dos EUA no Alasca, Colorado, Connecticut, Flórida, Geórgia,Illinois, Maryland, Massachusetts, Minnesota, Nova Jersey, Nova York, Rhode Island, Texas, Vermont, Virgínia, Wisconsin e Virgínia Ocidental, assim como Nova Iorque e da província canadense de Ontário.

FONTES
  1. WHITE MARTINS. Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos (Monóxido de Carbono): Disponível em:<http://www.whitemartins.com.br/site/catalogo/fispq/P4576G.pdf>. Data de acesso: 22/04/2011
  2. AGA. Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos: FISPQ (Monóxido de Carbono) Disponível em:<http://www.aga.com.br/international/web/lg/br/likelgbr.nsf/repositorybyalias/pdf_msds_c/$file/Carbon%20Monoxide.pdf>. Data de acesso: 22/04/2011
  3. HOW STUFF WORKS. Como tudo funciona. Por que o monóxido de carbono é tão venenoso: Disponível em:<http://ciencia.hsw.uol.com.br/questao190.htm>. Data de acesso: 22/04/2011
 
 

SULFETO DE HIDROGÊNIO – H2S

       Sulfeto de hidrogênio,m composto de hidrogênio e enxofre. Este gás altamente venenoso tem o cheiro de ovos podres, em baixa concentração. Em alta concentração é difícil se sentir o cheiro uma vez que o gás tira a sensibilidade sensorial do olfato. É incolor, tem um gosto doce, queima com facilidade, e é solúvel em água e vários compostos orgânicos (como o álcool). O sulfeto de hidrogênio é formado pela decomposição de proteínas de enxofre de rolamento, encontrados na matéria mais viva. O composto também ocorre na maioria dos gases vulcânicos e natural, os depósitos de petróleo e águas minerais. As suas principais utilizações são na análise de produtos químicos e produção de compostos de enxofre e de anti-histamínicos (combate a alergias).

 

 

Riscos do H2S a saúde

Efeitos adversos à saúde humana: O sulfeto de hidrogênio é um forte irritante do sistema respiratório superior e inferior, porém seus efeitos dependem da sua concentração e duração da exposição.
Perigos específicos: Sulfeto de Hidrogênio queima numa ampla faixa de inflamabilidade com o ar. É perigosamente reativo quando misturado com ácido nítrico concentrado ou outros fortes oxidantes como o ácido sulfúrico. Os gases entram em combustão espontânea quando misturados com vapores de cloro, difluoreto de oxigênio ou trifluoreto de nitrogênio.

SINTOMAS

Principais Sintomas: O sulfeto de hidrogênio pode causar sensação de queimadura, tosse, respiração difícil, dor de cabeça, náusea. Exposição contínua a baixas concentrações (15 – 20 ppm) geralmente causa irritação das membranas mucosa e conjuntiva dos olhos.

Concentrações elevadas (200 – 300 ppm) podem causar dificuldades respiratórias, levando a desmaio ou coma. Exposição por mais de 30 minutos a concentrações com mais de 700 ppm são fatais. Inalação contínua de baixas concentrações pode causar fadiga do olfato, dificultando a detecção de sua presença pelo odor.

Medidas de Primeiros Socorros: Levar o acidentado para um local arejado. Interromper imediatamente a fonte de emissão do gás. Se o acidentado estiver inconsciente e não respirar mais, praticar respiração artificial ou oxigenação. Encaminhar ao serviço médico mais próximo  levando esta ficha.          

Inalação: Remover a pessoa para local arejado. Se não estiver respirando, faça respiração artificial, utilizando aparelho de reanimação manual (ambu), ou respiração boca a boca. Se respirar com dificuldade, consultar um médico imediatamente.

  

MEDIDAS DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO

Equipamentos de proteção individual

Proteção respiratória: Linha de ar comprimido respirável isenta de óleo ou aparelho de respiração autônomo deve estar disponível para situações de emergência em locais confinados.

FONTES
  1. LINDE; GASES INDUSTRIAIS DO BRASIL. Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos (AGA) Disponível em:<http://www.aga.com.br/international/web/lg/br/likelgbr.nsf/repositorybyalias/pdf_msds_h/$file/Hydrogen%20Sulfide.pdf>. Data de acesso: 21/04/2011
  2. HOW STUFF WORKS.  Sulfeto de Hidrogênio Disponível em:<http://science.howstuffworks.com/hydrogen-sulfide-info.htm>. Data de acesso: 21/04/2011