Proteção Respiratória

Formação de Monóxido de Carbono em Compressores de Ar

04 mai 18 Por Claudinei Machado 0 comentários
Arcofil com Monitor de CO

Cavelete filtrante com monitor de CO

O processo de compressão do ar

Em condições normais de uso, os compressores de ar apresentam poucas chances de gerar monóxido de carbono, ou vez que as temperaturas de trabalho e as características do lubrificante estejam em dia. O problema ocorre toda vez que os compressores ultrapassam sua temperatura de trabalho, ou ainda que a qualidade do lubrificante seja duvidosa ou com as propriedades vencidas. Nesse caso, se houver um sobreaquecimento no cabeçote de compressão (ou outro mecanismo qualquer responsável pela compressão) juntamente com o óleo lubrificante e pouco oxigênio proveniente do processo, pode gerar monóxido de carbono.
O carbono sofre oxidação através da combinação com o oxigênio a temperatura mais elevada para formar óxidos,tal como o monóxido de carbono (CO) e o dióxido de carbono (CO2). O monóxido de carbono é formado, quando a combustão é incompleta, ou seja, pobre em oxigênio. Portanto:

CO está presente nos escapamentos de automóveis (quando há uma combustão incompleta), gases vulcânicos, gases da chaminés, etc.
 FONTE: 

UNITED STATES DEPARTMENT OF LABOR – Ocuppational Safety & Health Administration, Standard Interpretation, Disponível em: <http://www.osha.gov/pls/oshaweb/owadisp.show_document?p_table=INTERPRETATIONS&p_id=22882> Acessado em : 16 de abril de 2012

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>