Proteção Respiratória Sistemas

Filtros Coalescentes

05 abr 11 Por Claudinei Machado 0 comentários
filtro coalescente ar respirável

Filtros Coalescentes

A forma mais utilizada para geração de ar respirável sem sombra de dúvidas é através de compressores de ar.  A característica mais importante a ser notada quando se trata de ar respirável é o sistema de compressão que, pode utilizar óleos minerais, óleos sintéticos ou água como formas de lubrificação e refrigeração. No caso dos compressores lubrificados a óleo, devem ser utilizados filtros de retenção de óleo do tipo coalescentes (conforme será abordado abaixo) e filtros coalescentes. Outra característica que deverá ser observada diz respeito a umidade relativa do ar e seu ponto de orvalho. O ar produzido nos compressores deve estar isento de condensados de água já que essa variável interfere diretamente no desempenho dos filtros coalescentes e também na eficiência de catalisadores de CO.



Processo de coalescência

Coalescência: União de partes que se achavam separadas; aglutinação. O processo de coalescência é realizado usando um dispositivo para a separação de uma emulsão de líquido / líquido de pequenas gotículas dispersas e discretas de um fluido basicamente instável onde a gravidade não é suficiente para fazer a separação.

O processo de coalescência separa emulsões de dois materiais intimamente dispersos, líquidos imiscíveis, passando-os através de uma fibra profunda como matriz, um tecido sintético, feltro, tapete de fibra ou fibras de borosilicato. Em uma emulsão, como a água ou óleo (fase descontínua) e o ar (fase contínua ou primário) a mistura passa através do meio. As gotas de água ou óleo são interceptados pela fibras. Após atravessar as tramas, a mistura encontra uma densidade menor, do lado externo (saída das tramas) acabam aglutinando-se e por densidade acabam decantando ao fundo do vaso de filtragem dos filtros coalescentes. A tensão superficial faz com que as gotas de água sejam retiradas da emulsão e ser capturado pelas fibras do filtro.
Como regra geral, filtros coalescentes começam a perder a eficácia quando a diferença de quaisquer dois fluidos constituintes provoca queda de tensão interfacial (IFT), abaixo 18-20 dinas/cm e se tornar muito difícil em 08/06 dinas/cm. A coalescência eficiente exige também que o meio coalescente seja quimicamente compatível com os fluidos que se aglutinarão no filtro.

Filtros coalescentes – Aglutinação das moléculas