sexta-feira, 17 de junho de 2011

Os Riscos da Poluição Atmosférica por Ozônio



O ozônio é uma forma de oxigênio altamente reativa. Na alta atmosfera, o ozônio forma uma camada protetora que nos protege dos raios ultravioletas do sol. Ao nível do solo, o ozônio é um poluente do ar prejudicial e um dos principais componentes de poluição urbana. O ozônio é produzido quando as emissões de poluentes atmosféricos provenientes de automóveis e operações de fabricação industriais interagem com a luz solar. A longo prazo, a exposição a altas concentrações de ozônio pode causar uma redução significativa das funções pulmonares, inflamação das vias aéreas e aumentar as chances de doenças relacionadas ao sistema cardiovascular. Pessoas com doenças pulmonares são particularmente vulneráveis ​​aos efeitos respiratórios de ozônio. Os resultados de um estudo financiado pela NIEHS (National Institute of Environmental Health Sciences dos EUA) mostra que as crianças que praticaram três ou mais esportes ao ar livre em áreas com altas concentrações de ozônio tiveram três vezes mais chances de desenvolver asma do que crianças que não se engajaram nesse tipo de atividades esportivas ao ar livre.

De acordo com a EPA (Agência de Proteção Ambiental dos EUA), efeitos adversos do ozônio no ar atmosférico, para a saúde, quando em taxas elevadas incluem morte prematura por doenças cardíacas ou pulmonares, redução da função pulmonar, aumento da suscetibilidade a infecções respiratórias e aumento de internações hospitalares por problemas respiratórios, aumento no número de ocorrências em departamento de emergência e consultas médicas, aumento no uso de medicamentos, e faltas escolares mais freqüentes e relacionadas a problemas respiratórios. A geração excessiva de ozônio no ar podem ter um efeito significativo sobre a saúde humana. Ela pode causar problemas respiratórios incluindo asma, broquite e ainda reduzir a função pulmonar e causar doenças pulmonares. Na Europa é atualmente um dos poluentes do ar de maior preocupação. Vários estudos europeus relataram que a mortalidade diária sobe 0,3% e que para doenças cardíacas em 0,4%, por 10 mg/m3 aumento da exposição ao ozônio.

O ozônio troposférico é um subproduto de reações entre os óxidos de nitrogênio atmosférico, compostos orgânicos voláteis(VOCs), metano e monóxido de carbono na presença de luz solar. Os precursores químicos normalmente vêm de processos de combustão, das emissões industriais e de veículos, solventes químicos e fontes naturais. Os mais altos níveis de poluição por ozônio ocorrem durante períodos de tempo ensolarado.

Ozônio (O3)
Valores de Referência:

100 mg/m3 média de 8 horas

O limite recomendado anteriormente, que foi fixado em 120mg/m3 significa 8 horas, foi reduzida a 100 mg/m3 com base em recentes associações conclusivas entre a mortalidade diária e os níveis de ozônio que ocorrem em concentrações de ozônio abaixo de 120 mg/m3.
Fontes: 
  1. WORLD HEALTH ORGANIZATION. Air quality and health. Disponível em:<http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs313/en/>. Data de acesso: 7/06/2011
  2. ENVIRONMENTAL HEALTH PERPECTIVES. 
  3. EPA’s Ground-Level Ozone Standard Redux
  4.  Disponível em:<http://ehp03.niehs.nih.gov/article/browsenews.action?catName=Ozone>. Data de acesso: 17/06/2011
  5. WIKIPEDIA. : File:Health effects of pollution.png Disponível em:<http://en.wikipedia.org/wiki/File:Health_effects_of_pollution.png> Data de acesso: 17/06/2011

0 comentários:

Postar um comentário

 
diHITT - Notícias GeraLinks